O que fazer se você não está satisfeito com a frequência sexual de sua parceria

Eu sempre recebo essa pergunta nos meus atendimentos, tanto individuais quanto de casal.

A primeira regra é que não existe uma regra. Gostou? Isso mesmo, podem ficar tranquilos.

Cada casal é único e não existe uma regra ou um protocolo que vai definir qual a frequência ideal.

Cada casal possui sua rotina, suas preferências, seus desejos, e isso varia muito de como funciona para os dois. O importante é que esteja bom para ambos, que todos estejam satisfeitos. Quem está dentro do relacionamento é que precisa estar satisfeito com essa frequência, mas ressalto aqui que a qualidade é mais importante que a quantidade.

Tem casais que sentem-se felizes e realizados com relações 1x na semana, outros 3x na semana, e há ainda quem nem conta o período, mas tem mais espaçado e com bastante troca de intimidade, o que aumenta a qualidade.

O que fazer então se você não está satisfeito com a frequência com sua parceria?

O diálogo é sempre a melhor opção, descobrir o que está acontecendo e tentar melhorar essa questão, entrarem em um acordo. Por exemplo: muitas mulheres reclamam que se sentem sobrecarregadas com a rotina diária e só querem descansar quando terminam o dia. Que tal ser mais parceiro nos afazeres diários da casa, com os filhos, na rotina familiar em geral?

A preparação para o sexo não começa nos órgãos genitais se tratando da mulher, mas sim na cabeça! Então, ela precisa estar bem consigo mesma e com a parceria para que possa sentir desejo.

Aumentar o interesse sexual durante o dia deixando mensagens eróticas, insinuantes, fazer agrados, mimos, como por exemplo mandar entregar um docinho no trabalho depois do almoço, é um bom começo! Hoje em dia temos aplicativos de entrega de comida que facilitam essa parte, dessa forma, a pessoa vai começar a pensar mais nessa relação, nessa intimidade, e a chance de aumentar o interesse sexual é enorme, a relação só tem a ganhar com essas pequenas atitudes.

Também precisamos lembrar que existem algumas disfunções sexuais que podem estar envolvidas na falta de desejo, o que acaba interferindo na frequência e qualidade das relações.

Existem vários motivos e maneiras de corrigir o que está atrapalhando a vida do casal. Procure um profissional qualificado para auxiliar.

Por fim… a regra final para a pergunta lá do início é: “Se está bom para o casal, a frequência está perfeita, se não está, precisa avaliar e pode sim melhorar!”

Comentários