Iniciativa cultural catarinense realiza estudos individuais e coletivos com foco na criação em dança contemporânea e no estímulo à reciclagem e compostagem do lixo

A ligação entre o movimento corporal e a transformação da matéria orgânica são o foco do projeto de pesquisa catarinense “Decomposições do movimento”. Durante os seis últimos meses, o artista Fernando Dalla Nora mergulhou em estudos individuais e coletivos para explorar essa temática, com um olhar voltado à sustentabilidade através do estímulo à reciclagem e à compostagem do lixo. A pesquisa de criação em dança com sobreposição de linguagens artísticas contemporâneas, contemplada no Prêmio Elisabete Anderle de Incentivo à Cultura 2020, deu origem a materiais em audiovisual, fotografia, textos, performance e um e-book que será lançado em outubro.

“A poética do trabalho teve como objetivo investigar o movimento da decomposição da matéria orgânica sob uma ótica performática, bem como os movimentos (comportamento) do corpo humano como condutores das ações que amenizam os impactos ambientais criados pelo homem”, explica Fernando Dalla Nora, proponente do projeto.

A pesquisa ainda propiciou a troca de experiências e o intercâmbio cultural entre artistas, espaços e pessoas, envolvendo estudos investigativos do corpo e movimento para construção de poéticas, estéticas visuais e escritas que dialogam com as artes visuais e audiovisual. Foram realizadas cerca de 50 experiências nas cidades de Balneário Camboriú (Parque Ecológico Raimundo Gonçalez Malta e Espaço Soleares) e Bombinhas (Horto Municipal em parceria com a Fundação de Amparo ao Meio Ambiente – FAMAB), em Santa Catarina. O coletivo de artistas Núcleo Corpóreo, de Balneário Camboriú, integrou o processo de pesquisa do projeto.

O trabalho corporal consistiu em exercícios de composição espacial e jogos de improvisação com o objetivo de criar corporeidades que dialogassem com a temática da decomposição/transformação da matéria. A iniciativa também realizou um trabalho manual de compostagem em todos os locais envolvidos, com o reaproveitamento, plantio e propagação de mudas de plantas. Todos os processos externos tiveram participação e interação das comunidades como contrapartida sociocultural.

“A compostagem e criação de canteiros durante o projeto foi uma forma de estimular o olhar das pessoas para essa prática, já que atualmente menos de 1% do lixo mundial é compostado, o que gera diversos problemas, inclusive climáticos. E esses processos sustentáveis realizados fizeram parte de nossa investigação sobre o movimento do corpo e sua relação com a matéria em decomposição”, conta Dalla Nora.

Outra vivência foi a Mostra de Processo realizada com acadêmicos do curso de Dança da Universidade Regional de Blumenau (FURB). Os estudantes colaboraram com conteúdo textual para compor um e-book digital, que será lançado em outubro, com materiais artísticos produzidos durante o projeto, como fotos, textos, vídeos e cartilhas educativas.

O projeto “Decomposições do movimento” foi contemplado pelo Prêmio Elisabete Anderle de Incentivo à Cultura de 2020, através do Governo do Estado de Santa Catarina e Fundação Catarinense de Cultura. Parte do acervo pode ser acompanhado através do Instagram do Núcleo Corpóreo e do artista proponente: @nucleocorporeo e @dallanoras.

Sobre o projeto

“Decomposições do movimento” é uma dança orgânica de corpos pluralizados, plantas e objetos sustentáveis; um processo de percepção poética, transformação e ressignificação da matéria. Trata-se de um projeto multidisciplinar e educativo que visa estimular o olhar dos integrantes e do público para questões relevantes sobre o meio ambiente por uma ótica sustentável, através da compostagem e reciclagem do lixo. A iniciativa aborda ainda a forma de se relacionar com a natureza por meio do movimento e os benefícios sociais e terapêuticos atrelados a estas práticas.

Sobre o artista proponente

Fernando Dalla Nora é multiartista natural de Balneário Camboriú e atuante na área cultural como produtor. É idealizador do coletivo Núcleo Corpóreo, no qual vem desenvolvendo ações de pesquisa, produção e formação em artes integradas através de projetos apoiados por editais de Leis de Incentivo. Por meio da dança desenvolve projetos de pesquisa, formação continuada e residências em parceria com artistas diversos com foco na experimentação e cruzamento de linguagens artísticas e suas conexões com as novas tecnologias. É bailarino, professor e coreógrafo, pesquisador, performer e videomaker.

Sobre o coletivo

O coletivo Núcleo Corpóreo vem desde 2012 realizando projetos de produção, formação e pesquisa em parceria com diversos artistas de abrangência nacional em projetos que recebem apoio de Editais de Leis de Incentivo à Cultura com foco nas experimentações em artes integradas com multiartistas que se relacionam para criar possibilidades dentro da cena contemporânea.

Ficha técnica

Criação: Fernando Dalla Nora

Colaboração Artística: Caroline Calcaterra, Gabriel Engster, Adilso Machado, Caaro Costa, Luluca Luciana, Michele Chaves e Nathália Duarte.

Colaboração Ambiental: Paulo Miorando e Letícia Frozza.

Comentários