Evento reuniu 80 surfistas dos três estados do sul do Brasil. Texto: Rodrigo Sikorski

O campeonato aconteceu neste domingo, dia 17, na praia Brava, em Itajaí, e contou com a presença de atletas dos três estados da região sul do país. O surfista Derek Adriano conseguiu a vitória no Itajaí Open de Surf e largou na frente nos circuitos Catarinense e da Associação de Surf Praias de Itajaí – ASPI. O Itajaí Open ainda terá mais duas etapas, uma em abril e a última em setembro.

Surfistas encontraram a praia Brava com boas ondas e um dia ensolarado. A competição homologada pela Federação Catarinense de Surf – Fecasurf – teve status de 2.000 pontos para o ranking do Campeonato Catarinense Amador. Todos os atletas receberam máscaras e tinham à sua disposição álcool gel, seguindo o protocolo contra a covid 19.

A categoria Open, que possui o nível mais alto da competição, foi marcada pelo equilíbrio. Os surfistas mostraram muita garra durante toda a competição. O atual campeão Jonathan Busetti vinha com tudo e parecia que iria faturar a primeira etapa. Mas na segunda semifinal, Busetti foi eliminado por Derek Adriano e Pedro Nogueira. Na final Derek Adriano não deu chance para seus adversários e faturou todos os prêmios.

Na categoria Local, Busetti não deu chance para seus adversários. A sua melhor nota 7,67, foi maior que a somatória de todos os seus oponentes. Em segundo lugar terminou Jhony Bernardi, Dickson Queiroz em terceiro e Ricardo Tavares ficou na quarta colocação. Quem também marcou presença na categoria Local foi o top model internacional e cria da Brava, Marlon Teixeira, que passou duas betarias. 

Já na categoria Feminina, teve a disputa mais acirrada do dia. Gabriely Vasque e Yasmin Dias brigam pelo título onda a onda. Mas no final da bateria, Vasque se deu melhor por apenas 0,4 pontos e largou na frente no ranking Catarinense. Em terceiro terminou Cintia Cardoso seguida da atleta local Joana Machado.

A categoria Júnior teve como campeão Murilo Brant. O surfista de Barra Velha largou na frente com uma nota 5,57, mas foi ultrapassado por Patrick Plachi, que em duas ondas somou 9,77. Faltando pouco mais de cinco minutos para o término da bateria, Murilo pegou uma onda e com uma série de manobras tirou 6,33 e virou a bateria. Patrick não conseguiu a onda para mudar o resultado da bateria e ficou em segundo. Na terceira e quarta colocação ficaram Luã Silveira e Lucas Ramon.

Na categoria Petiz, o futuro do surf nacional, os pequenos surfistas deram um show. O campeão Cauã Deminski foi o grande destaque da categoria. O garotinho de apenas 9 anos teve a maior nota do evento. Na sua primeira bateria, o garoto do Farol de Santa Marta tirou 8,33 em uma esquerda que tinha quase o triplo do seu tamanho. Na final, ele manteve o ritmo e somou 13,34 pontos, não dando chances para seus adversários. Matheus Amaral terminou em segundo.  Nalu Deminski, irmão do Cauã terminou em terceiro, Keoni Truz em quarto e pequena Maya da Silva de apenas 5 anos em quinto. Maya, que entrou de colete e com seu pai Leandro Felipe da Silva, contou que sua melhor onda foi a primeira porque ela fez um bom drop.

Fotos: The Cave

Comentários