Eu sei que você agora é um anjo que está sempre cuidando de mim

O dia 13 de novembro sempre será diferente. Foi o dia em que você nos deixou. Tão cedo, tão inesperado, tão dolorido. Hoje, exatos cinco anos depois, ainda sinto sua falta. É inevitável. Mas, ao mesmo tempo, quando penso em ti, todos os sentimentos bons despertam em mim. Então eu penso que entendi que você cumpriu a sua missão na terra, é como se a sua chegada, com uma partida tão cedo, tivesse um propósito maior.

Eu lembro, como se fosse ontem, do dia que você nasceu. Eu estava longe, mas chorei de alegria, fui comemorar. Queria tanto ser tia, tanto mesmo, que me senti realizada. Eu já te amava antes mesmo de você vir ao mundo, aliás, todos nós. Foram quase dois anos de muita alegria. Cada progresso seu era uma conquista. E eu, a tia mais babona. Que ficava feliz até quando você puxava o meu cabelo. O seu cheiro, o sei jeitinho,  o seu olhar, estão guardados em meu coração. Fecho os olhos e consigo lembrar da sensação de ter você em meus braços. É que você ainda vive em mim. Sempre vai viver.

E é claro que no dia de hoje meu pensamento é só em você. A gente acaba revivendo o que aconteceu naquela sexta-feira 13. Eu nunca fui supersticiosa, mas confesso que isso me fez desenvolver um certo pavor desse dia. Ainda mais nesse ano, que a data coincide novamente. Parece bobagem, eu sei, mas fico rezando para que não aconteça nada de ruim enquanto o dia não acabar. Naquela sexta-feira eu fui dormir sabendo que algo iria acontecer. Mas não pensei que seria tão devastador. Foram dias difíceis para todos nós, indescritíveis eu diria. Tivemos que dar força um ao outro e reaprender a viver sem você, que já era o motivo da nossa existência.

Nas primeiras manhãs depois de você partir, ouvimos, por dias, um passarinho cantar na janela do quarto. No mesmo horário. Parecia um sinal, no começo fiquei com medo, depois senti paz. Até hoje, quando escuto os pássaros cantar no amanhecer eu lembro de ti. Semana passada acordei na madrugada, pensei em você e, de repente… o canto do passarinho. Eu senti a sua presença muito forte. Tudo isso me faz ter uma certeza, em meio a tantas dúvidas: de que você é e sempre será o meu anjinho.

Você tá sempre cuidando de mim aí de cima e isso é uma das coisas que me dá forças para continuar quando estou desanimada. Eu penso: “ele teria orgulho da tia”. Isso já é o suficiente. Pietro, de onde você estiver, saiba que eu te amo e que você foi o melhor presente das nossas vidas. Um dia voltaremos a estar juntos, por toda eternidade.   

Com carinho, sua tia, Greici Siezemel.

Comentários