Essa cena já foi vista no último feriado e volta a se repetir no litoral norte de Santa Catarina: praias lotadas. No domingo, dia 1º de novembro, foram registrados diversos pontos de aglomeração na Praia Central de Balneário Camboriú. Muitas pessoas permaneceram por horas e horas na faixa de areia, o que ainda não é permitido pelo decreto estadual em vigor. Lembrando que essa medida é válida para regiões com risco grave de contaminação pela Covid-19, o que é o caso de Balneário Camboriú, sendo somente permitida a permanência em espaços públicos de uso comum, para realização de atividades físicas individuais.

Fotos: Greici Siezemel

Mas muita gente que veio de longe para passar o fim de semana prolongado aqui e não sabia desse detalhe, como o Ney Scaravelli e seus amigos, que vieram de Maringá/PR.

“Reunimos uma galera e viemos para cá, pois esse ano de pandemia foi complicado, resolvemos distrair um pouco a cabeça, mas sempre respeitando as leis sanitárias e se protegendo. Não sabíamos que a permanecia na faixa de areia não está permitida, inclusive passou a fiscalização aqui e não nos falou nada”, destaca ele.

Vídeo: Greici Siezemel

Ministério Público acompanha a situação

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) emitiu um comunicado a prefeitura de Balneário Camboriú na semana passada e recomendou que fossem tomadas medidas para fiscalizar e prevenir o contágio e disseminação do Coronavírus durante o feriado prolongado. Caso a recomendação não seja atendida, uma ação poderá ser protocolada.

A Operação Se Cuida BC, está sendo realizada no município com o intuito de orientar as pessoas e fiscalizar os pontos de maior fluxo da cidade. Para isso, 300 servidores públicos foram designados para função.

Estabelecimentos lotados em Itajaí

Já em Itajaí, o maior movimento na Praia Brava ocorreu no fim da tarde do domingo. Aglomerações e filas foram registradas nos entornos dos bares. Na última semana, o município de Itajaí atualizou as regras para enfrentamento à pandemia conforme a Matriz de Risco Grave divulgada pelo estado.

Comentários