Se alguém te perguntasse o que a água tem a ver com a sua comunicação, você poderia facilmente pensar algo como “a hidratação da sua voz”, ou até mesmo que ela sirva para “evitar que você fique com a boca seca” quando você fala por muito tempo. Mas o que eu tenho pra te contar hoje é totalmente diferente disso. A água pode revelar coisas fantásticas sobre as palavras que usamos e ninguém nunca falou isso para você.

Algum tempo atrás um grupo de cientistas ao redor do mundo levantou a hipótese de que a água teria uma espécie de “memória”. Acabou que, no desenvolver das pesquisas, os achados foram muito maiores. Eles descobriram que a água é influenciada pelo ambiente ao redor dela e que o formato criado pelas moléculas de H20, ao se ligarem entre si, podem guardar informações e contar algumas histórias. Seria como se cada molécula fosse uma letra do alfabeto e, conforme elas se juntam, formassem palavras.

Mas toda essa curiosidade sobre a água tem um motivo muito significativo para nós: aproximadamente 70% do nosso corpo é composto de água. E mais, praticamente 85% do nosso cérebro é feito de água. Assim, saber o que influencia a água é basicamente saber o que nos influencia também (ou o que influencia grande parte da nossa composição).

Foi essa ideia que levou o Dr. Masaru Emoto, do Japão, a escrever o seu livro The Hidden Messages in Water (As Mensagens Escondidas na Água) estudar o efeito que as palavras têm sobre as moléculas de água. O que ele fez foi coletar e separar algumas amostras de água, e repetir algumas palavras para cada amostra algumas vezes (por exemplo, uma vez ao dia durante 30 dias). Para algumas amostras, ele falava palavras de elogios e agradecimentos, e para outras ele falava palavras críticas e xingamentos de diversos tipos. Depois de ditas as palavras, ele congelava as amostras e as colocava na lâmina do microscópio para conseguir visualizar o que acontecia com os cristais de água. E é aqui que surgiram algumas descobertas incríveis.

Ele descobriu que aquelas amostras para as quais ele disse palavras boas, possuíam cristais mais simétricos e mais organizados do que aquelas para as quais ele disse palavras ruins, que ficaram com uma forma desorganizada, parecidas com um borrão. Ele também notou que a qualidade da “água das palavras boas” era melhor do que as da “água das palavras ruins”. Mas a pesquisa dele foi mais além. Ele também experimentou apenas pensar nas palavras ao invés de falá-las. E adivinhe quais foram os resultados? Os mesmos!

Acima está a foto dos cristais de água que foram submetidos a cada sentimento

Ele também categorizou as palavras para descobrir qual palavra tinha maior influência sobre a água. No fim ele encontrou uma combinação de duas palavras: amor e gratidão. Claro que uma das primeiras coisas que outros cientistas pensaram foi em testar essas mesmas palavras em outros idiomas além do inglês e do japonês. Mas adivinhe só… os resultaram foram basicamente os mesmos nos outros idiomas também.

A partir dessa pesquisa, os cientistas ao redor do mundo começaram a estudar a relação das pessoas com a água e perceberam que em várias religiões e rituais de algumas culturas, é comum benzer a água e utilizá-la para batizar crianças, purificar alimentos, lavar as mãos, beber, e assim por diante. A água está sempre associada à ideia de purificação e renovação.

Dessa forma, se nós pensarmos que a maior parte do nosso corpo é composto por água e que as palavras influenciam na qualidade dessa água, deixando-a melhor ou pior, o que você acha que as suas palavras causam nas pessoas com quem você conversa? Lembre-se, também, que os nossos pensamentos influenciam na qualidade dessa água. Então, será que alguns pensamentos que você tem estão fazem bem à você e aos que estão ao seu redor? Você já desejou o mal para outros? Você já desejou o bem para outros? Você costuma criticar os outros? O que você tem feito para o bem “da sua água”? O que você tem feito para o bem “da água dos outros”? Afinal, o pensamento dos outros também pode influenciar “na sua água”, como mostrado na pesquisa…

Essas perguntas nos levam a refletir no que temos pensado e no que temos falado durante a nossa vida, e são, também, uma boa oportunidade para começarmos a mudar algumas atitudes que temos diante de algumas situações, porque isso influencia nosso estado geral, afinal, nosso corpo possui um conjunto de reações bioquímicas que têm a água como um dos componentes envolvidos. Eu tenho uma última pergunta para você, talvez a mais importante desse texto. Mas antes, se você gostou deste post, compartilhe com um amigo ou amiga para que eles também pensem nessas perguntas.

Para finalizar, eu gostaria de deixar uma pergunta para que você leve para a sua vida: Se você pudesse Engolir as suas Palavras, a sua Alma seria Nutrida ou Envenenada?

Comentários