Uma banda com identidade marcante, presença de palco, que já tem anos de estrada e é composta por quatro mafiosos. Quem mora pelo Vale do Itajaí, com certeza deve ter assistido algum show deles. É claro que estamos falando da banda Mafia S/A, de Timbó e Blumenau.

A Mafia S/A foi criada em 2005 pelo seu frontman, Neto Fonga, que inicialmente tinha a ideia  despretensiosa de compor e gravar músicas autorais apenas para colocar na internet.

Eis que, em 2008, a banda entrou em estúdio pela primeira vez e gravou um álbum com 10 faixas, que foi lançado em 2009. Após o envio deste CD para diversas rádios e outras mídias locais do Vale do Itajaí, perceberam que as rádios da região passaram a tocar cinco faixas.

Após toda a repercussão, as pessoas passaram a perguntar quando começariam os shows já que um CD havia sido lançado. Foi ai que a banda começou a cair na estrada e o sucesso só se multiplicou.

Desde 2010, efetivamente na estrada, a banda mantem um média de 100 a 120 shows por ano, seja no formato completo, pocket ou acústico. Além disso, já possuem seis vídeo clipes autorais lançados no seu canal no Youtube. O vocalista Neto, dirigiu todos eles e participou de roteiro, filmagens e edição de alguns também.

Hoje, a Mafia S/A é composta pelo Neto Fonga no vocal, Flavinho Theilacker na bateria, Regisson Silva na guitarra e André Raimondi no baixo.

Sem rótulos

Como já mencionado, a Mafia S/A tem um estilo próprio e marcante no palco. Vestidos de mafiosos, com direito a chapéu, óculos escuros e paletó (na maioria das vezes coloridos ou com estampa xadrez), eles dizem que normalmente não criam rótulos quanto ao estilo musical, mas que o público costuma classificá-los como uma banda de pop/rock com um pé no rock and roll.

Segundo Neto, várias vertentes musicais os influenciam. “Nossa identidade, trata-se de um antagonismo, uma forma de protesto contra as várias máfias que se formaram no nosso país nos últimos anos. Podemos nos definir como uma máfia do bem, da boa música, que quer chamar a atenção para consertarmos as coisas erradas e seguirmos em frente trazendo boas vibrações para todos”, completa.  

Momentos marcantes

Sobre os momentos marcantes, o vocalista menciona que já tiveram muitos, mas de bate-pronto, cita dois deles. “O primeiro fato é de já termos dividido o palco com grandes nomes como Nenhum de Nós, Acústicos & Valvulados, Chimarruts, Vera Loca. E o segundo, a música verdades ou mentiras do nosso EP chamado Contrafluxo, ficou no top 10 de uma rádio do litoral por quatro semanas”, destaca.

Confira a música Verdades ou mentiras – https://www.youtube.com/watch?v=b9W_FN8p5dE

Além dos momentos marcantes na carreira, Neto afirma que a música significa muito para ele e os companheiros de palco, e diz que apesar das grandes dificuldades enfrentadas, todos tem muita coragem de literalmente “largar tudo” para se dedicar efetivamente a trabalhar com que amam.

Sem shows e eventos

Assim como diversos outros artistas do segmento, a pandemia trouxe o cancelamento de eventos, shows e tudo que envolvesse aglomeração de pessoas. Apesar do cenário não ser dor melhores, Neto disse que a banda está se virando. “Consumindo economias, dando aulas, fazendo trabalhos paralelos e temporários com outras atividades, prestando consultoria, gravando jingles e por aí vai. Isso já revela uma certa forma de reinventar-se”.

O vocalista ainda observa que mesmo com outras atividades a parte, a banda não parou de trabalhar um minuto se quer. “Continuamos todos estudando, praticando individualmente e quando houve uma certa liberação de restrições, continuamos os ensaios (cumprindo todos os protocolos, é claro). Aguardando muito a hora de voltar pra estrada e as coisas se normalizarem”.

Spoiler na área

Quando perguntamos se a banda está preparando um novo trabalho nesse período de quarentena, Neto logo brinca com o questionamento e dispara que chegamos na pergunta spoiler da entrevista. Bom, é uma pergunta despretensiosa, mas a gente quer saber né (garanto que o pessoal que está lendo também). E claro que ele responde.

“Atualmente, estamos gravando material autoral novamente e montando um novo show, totalmente voltado para a interatividade com o público. Novidades chegando”.

Neto também adiantou outra informação. “O último álbum lançado pela banda em junho de 2018, chama-se Plugado. Logo, com essa informação, já podemos saber como será o novo trabalho da banda”.

Então fãs, fiquem ligados que em breve tem sonzeira chegando na área. Enquanto isso, vocês podem acompanhar o trabalho dos mafiosos pelo Canal no Youtube, Facebook e Instagram.

Comentários