Você com certeza já passou por alguma situação onde você tentou puxar assunto com outra pessoa (ou mesmo alguém tentou puxar assunto com você) e em questão de segundos a conversa morreu, deixando aquele silêncio desagradável por nenhum dos dois saber o que falar.

Pois é… todo mundo já passou por isso alguma vez na vida. Mas hoje, eu trouxe algumas estratégias que vão colocar você no caminho certo para superar esse problema.

Por que isso acontece?

Geralmente isso acontece quando você ainda tem pouca informação (assunto) para conversar com uma determinada pessoa. Nesses momentos um mistério surge na nossa cabeça: sobre o que eu falo?

Alguns tentam mudar de assunto… outros fazem um comentário aleatório…
Algumas vezes até funciona, mas as chances de um silêncio constrangedor se instalar são muito maiores.

É claro que existem situações onde se tem um pouco de sorte e a outra pessoa consegue fazer com que a conversa aconteça. Mas, se a sorte não aparecer, você tem que saber o que fazer.

O que fazer então?

De forma geral, o que você tem que fazer é buscar uma estratégia para levantar informações que possam ser usadas para estabelecer um diálogo. Existem dois tipos de perguntas que podem te ajudar a fazer isso: as perguntas abertas e as perguntas fechadas.

Se eu te perguntasse “você gosta de rock?”, as opções de respostas que você pode me dar são “sim” e “não”, ou alguma variação desses dois, como “adoro” ou “odeio”. Independente da sua resposta, a única informação que eu teria é que você gosta (ou não gosta) de rock.

Por outro lado, se eu te perguntasse “que tipo de música você gosta?”, as opções de respostas são muito mais amplas, pois você não consegue responder essa pergunta simplesmente com “sim” ou “não”. Logo, essa resposta dará informações novas para usar na construção de um diálogo.

O que acabamos de ver foram dois exemplos de perguntas. As perguntas fechadas são aquelas onde levantamos poucas informações para o diálogo, pois as respostas serão “sim” ou “não”. Já as perguntas abertas são aquelas que temos que responder com palavras diferentes de “sim” e “não”, portanto, elas nos dão mais informações. Além disso, você demonstra interesse na outra pessoa e também abre espaço para que ela pergunte algo pra você. Assim a conversa flui.

No jornalismo as perguntas abertas são usadas frequentemente para construir notícias:

  • Quem?
  • Onde?
  • Como?
  • Por que?
  • Quando?
  • O quê?
  • Quanto?
  • Qual?

O teatro também faz o uso de perguntas abertas para a construção de cenas:

  • Onde?
  • O quê?
  • Quem?

Além de levantar informações, as perguntas abertas também servem para você dar espaço para que a outra pessoa fale. Dessa forma você evita de monopolizar a conversa e/ou de falar só de você o tempo todo.

Mas cuidado com as perguntas abertas, elas são uma excelente solução para
levantar informações em um diálogo, mas se você ficar só fazendo um monte de perguntas pode virar um interrogatório. Procure manter as perguntas dentro de um mesmo assunto. Aos poucos a conversa toma outro rumo.

Se você estiver falando, você pode buscar saber se a outra pessoa está prestando atenção no que você diz usando as perguntas fechadas.

Por exemplo, você está contando uma história sobre o que aconteceu com você no final de semana, e durante a sua história você diz que tomou um vinho artesanal. Então você pergunta pra pessoa: “você já tomou vinho artesanal?”. A pessoa pode ter dizer “já tomei” ou “nunca tomei”, que são variações de “sim” e “não”. Ou seja, você apenas confirma que a pessoa está prestando atenção na sua história e segue adiante.

Uma boa estratégia para você usar bem esses dois tipos de perguntas é pensar nas perguntas como um jogo. Como vimos antes, as perguntas abertas servem para você dar espaço para a outra pessoa falar e as perguntas fechadas dizem para a outra pessoa que ainda não é a vez dela. Portanto, você pode usar isso a seu favor na hora da conversa. Quando você quiser que a outra pessoa fale, faça uma pergunta aberta. Quando você
quiser que ela te escute, faça uma pergunta fechada. Mas essa dica serve apenas quando você já começou uma conversa com alguém.

Então, na próxima vez que você estiver com alguém e não souber sobre o que conversar, lembre-se de usar as perguntas abertas, porque é com elas que você vai descobrir mais informações para continuar a conversa.

E para finalizar, eu gostaria de saber de você aqui nos comentários: Qual foi a situação mais difícil de puxar assunto que você já passou?

Comentários