Saiba como ajudar o projeto Mães da Favela da Cufa de Itajaí

Eu sei que está difícil para todo mundo. Mas você já parou pra pensar que enquanto está aí reclamando que não vai poder trocar de carro, que o faturamento da sua empresa diminuiu, que vai ter que adiar a compra do celular, das roupas, calçados novos, ou qualquer item de consumo que seja, tem pessoas que NESSE EXATO MOMENTO não tem sequer comida em casa? A pandemia do coronavírus veio para escancarar ainda mais as desigualdades sociais!

E elas estão aqui, debaixo do nosso nariz. Eu escrevo esse texto acreditando que ainda existe esperança, que não sou a única a me sensibilizar com a situação e que posso contar com você. Se eu começasse direto no assunto quem sabe você nem teria chegado até esse ponto. Às vezes precisamos de um “chacoalhão” para acordar para realidade, para deixarmos de ser egoístas. Bom, vamos ao assunto.

Desde o dia 05 de abril desse ano, a Cufa (Central Única das Favelas) iniciou os seus trabalhos em Itajaí. A partir daí começou a luta contra o vírus e principalmente contra os reflexos dele na vida das famílias carentes. A cufa desenvolve um trabalho importante diretamente nas  favelas, comunidades, periferias, auxiliando pessoas que realmente precisam. Os bairros que recebem o projeto aqui na cidade são: Matadouro, Imarui, Murta,  Cordeiros (brejo) , Promorar , Fazenda (favela Morro da Atalaia), São Vicente , Espinheiros (favela Beija-flor).  O coordenador da Cufa de Itajaí é o Ronaldo Jesus dos Santos, o rapper Manno Ro, ele conta que já foram entregues mais de uma tonelada de alimentos às famílias, além de álcool  em gel, máscaras, brinquedos e roupas infantis.

Ronaldo distribuindo álcool em gel em uma comunidade de Itajaí

Mães da Favela

A Cufa tem vários projetos sociais, inclusive de empreendedorismo nas favelas, mas devido a pandemia, o foco agora é o projeto Mães da Favela, que está sendo desenvolvido aqui em Itajaí.

O objeto é auxiliar “mães solo”, moradoras de comunidades/favelas, carentes que foram fortemente atingidas pelos reflexos econômicos da pandemia. “A ação beneficia mães que são as únicas provedoras de famílias de baixa renda com dois ou mais filhos. Entramos nas comunidades e, conhecendo as pessoas,  cadastramos as mães para receberem o auxilio de R$ 120,00 (através do cartão alimentação). Esse projeto tem 50 mães cadastradas aqui na cidade”, conta Ronaldo.

Favela também brinca

O que poucos se dão conta é que na favela também existem crianças e que elas também brincam! Por isso, outro projeto da Cufa entrega brinquedos a essas crianças, para que elas tenham algo para se entreter e também permaneçam em casa. Algumas empresas já fizeram doações para o projeto de Itajaí.

Você pode ajudar

Para que o projeto continue, ele precisa da sua ajuda. Doações de alimentos e produtos de higiene pessoal são bem-vindas. Muitas famílias ainda necessitam de telhas, pois tiveram suas casas destruídas pelo ciclone. Quem quiser ajudar, pode entrar em contato com o Ronaldo pelo telefone (47) 98815-9698, pelo email: cufaitajaisc@gmail.com  ou ainda pelo instagram: https://www.instagram.com/cufaitajaisc

O projeto ainda precisa de voluntários para desenvolver diversas atividades e dar um melhor suporte às comunidades. Interessados também podem falar com o Ronaldo, ou deixar uma mensagem aqui no Paraíso!

Saiba mais sobre a Cufa

A Central Única das Favelas é uma organização brasileira reconhecida nacional e internacionalmente nos âmbitos político, social, esportivo e cultural que existe há mais de 20 anos. Fundada no Rio de Janeiro, a entidade promove atividades nas áreas da educação, lazer, esportes, cultura e cidadania, como grafite, rap, basquete de rua e literatura, além de outros projetos de interação e inclusão social.

A equipe de voluntários que integra a Cufa é composta, em grande parte, por jovens formados nas oficinas de capacitação e profissionalização da instituição. Outros são oriundos das camadas menos favorecidas da sociedade, sendo, em sua maioria, moradores de comunidades carentes. Recentemente a Cufa lançou um novo projeto, a Digital Favela, plataforma que reúne microinfluenciadores das comunidades. A ideia é oferecer um caminho para automatizar, segmentar e distribuir campanhas em redes sociais como Instagram e YouTube. O projeto tem como foco marcas interessadas em ampliar a comunicação com a população de comunidades de diversas cidades brasileiras. PicPay, Facebook e Uber são as primeiras a aderirem à iniciativa. Em breve, a plataforma vai estar também em Itajaí.

Comentários